pedagogia Waldorf

A natureza faz do homem um ser natural.
A sociedade faz dele um ser social.
Somente o homem é capaz
de fazer de si um ser livre
(R.Steiner)

educação para a paz e a liberdade

Artigo publicado na revista Educação na Prática – Pedagogia Waldorf, Editora Minuano.
A autoria é de Celina Norcia e Targa, psicopedagoga formada pela Universidade Mackenzie, especialista em Recursos Especiais em Pedagogia Waldorf pela Association for a Healing Education e em Estudos Goethenísticos pelo Rudolf Steiner College, California, EUA. É professora do Colégio Waldorf Micael de São Paulo há 23 anos




"A pedagogia Waldorf é filha de uma filosofia, a Antroposofia. Seu caminho é muito interessante porque, desde a sua concepção, ela está voltada para a vida. Foi criada para atender os filhos de operários de uma fábrica de cigarros em 1919, na Europa Central, na Alemanha, um território que estava se reconfigurando de acordo com uma nova perspectiva política, depois da destruição e do choque social provocados pela Primeira Guerra Mundial.

Rudolf Steiner havia feito várias palestras pela Europa apontando como se daria a reconstrução da comunidade humana depois de um choque tão grande. Ele falava para empresários, artistas, escritores, a intelectualidade da Europa, mas percebeu que nada acontecia. Entendeu, então, que, se realmente quisesse dar uma contribuição para a humanidade, tinha que cuidar do ser humano em formação. E o caminho para isso seria a educação, visando o desenvolvimento do ser humano como um ser cujo princípio máximo é a liberdade. Esse era um conceito muito revolucionário para a época.

E o que nós, hoje, temos a ver com isso? Tudo, porque a pedagogia antroposófica está inserida em uma cultura de paz, como hoje falamos. Essa preocupação é muito atual, porque a cultura humana se tornou bélica. Não há uma década em que não haja dezenas de conflitos, em especial nos dois últimos séculos. E a pedagogia Waldorf nasceu buscando justamente um modelo que se contraponha a essa cultura de competição, de exclusão, que mostrasse para o ser humano sua possibilidade de desenvolvimento na paz e na liberdade.

 No que essa pedagogia se diferencia das outras? Ela olha o desenvolvimento da criança no contexto de uma época e no contexto da sua própria história. Ou seja, não leva em conta apenas a fase que a criança está vivendo em seu próprio desenvolvimento, mas a época que a humanidade está vivendo neste momento e a tarefa que temos a realizar em relação a ela.

 Além disso, quando observamos o currículo proposto inicialmente por Rudolf Steiner – porque ele nunca adotou uma metodologia fechada –, vemos que o cerne dessa pedagogia é a liberdade do educador e a responsabilidade que essa liberdade traz.  É ele quem deve perceber, em determinado grupo de alunos, como o currículo indicado pode se desdobrar. Isso pressupõe a auto-educação do educador, porque ele não recebe uma apostila pronta que vai preenchendo com seus alunos. Ele observa o grupo como um todo, cada criança desse grupo e vai adequando o currículo, oferecendo aquilo que é bom para a idade dos alunos e que vai ao encontro do seu desenvolvimento.  
(continua na próxima página...)