ensino médio

Nos quatro anos do Ensino Médio, que vai do 9.º ao 12.º ano, a pedagogia Waldorf concentra-se especialmente nas capacidades do pensamento e do julgamento independentes, a ser desenvolvidas no jovem estudante (vale lembrar que oficialmente o 9º ano ainda faz parte do Ensino Fundamental; nas escolas Waldorf, no entanto, a partir dessa série a classe passa a seguir a estrutura dos anos seguintes: não há mais um professor de classe, mas um tutor).

Ao completar 15 anos e entrar no terceiro setênio de vida, o jovem vivencia drásticas mudanças físicas e, ao mesmo tempo, começa a desenvolver a maturidade intelectual, frequentemente acompanhada de crises de insegurança e de esforços idealistas. Como nas séries iniciais, ainda é importante que a escola estabeleça limites claros, mas também deve estimular os adolescentes a caminhar com suas próprias pernas e aprender com seus erros, visando maior grau de liberdade de escolha e de ação.

No processo de despertar do eu e colocar sua individualidade nascente no caminho da autonomia, o jovem assume, frequentemente, uma atitude de rebeldia contra o mundo adulto e suas expectativas, chegando até mesmo a negar suas regras. Essa postura é necessária para levá-lo a estabelecer suas próprias regras e seu próprio sistema de valores. Assim, ao longo dos quatro anos, cada vez mais a responsabilidade é deslocada para o aluno.

Mãos, coração e cabeça têm igual importância no desenvolvimento humano. Por isso, a pedagogia Waldorf impulsiona da mesma maneira o desenvolvimento das capacidades prático-manuais, morais e cognitivas. No Ensino Médio Waldorf isso é conseguido por meio de um currículo que, por sua diversificação e profundidade, proporciona inúmeras experiências e encontros humanos para o crescimento do indivíduo no ambiente social.
Mais do que a simples preparação para um curso superior, o Ensino Médio Waldorf é uma preparação para a vida.