educação infantil

"Os reinos da natureza
são os fonemas
e o ser humano
é a palavra."
(Paracelsus)

euritmia elementar



Euritmia é uma arte de movimento desenvolvida por Rudolf Steiner que propõe a religação do ser humano com forças criadoras, cuja essência encontra-se também na linguagem e na música. Ela é componente curricular nas escolas Waldorf dos 3 aos 18 anos e tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da criança em suas diferentes fases e necessidades.

Fazer euritmia elementar foi a única orientação específica dada por Rudolf Steiner para as aulas de euritmia na primeira infância. Elementar no sentido de simples e essencial. Tudo que depende de raciocínio, compreensão, contagem, foge do simples e exige das crianças uma atitude individual e mais racional que a distancia da vivência elementar da euritmia.

Embora o desenvolvimento físico e motor sejam os principais veículos de aprendizagem no primeiro setênio, é nesta fase também que a criança está formando o germe de outras capacidades básicas que serão permanentemente transformadas e desenvolvidas no decorrer da vida. A tarefa do educador, neste período, é permitir que a criança possa aprender da melhor maneira possível a andar, falar e pensar, partindo sempre da imitação de tudo o que a rodeia.

Aprender a andar não é apenas locomover-se verticalmente pelo espaço, mas colocar-se em equilíbrio no mundo. Isto é, primeiramente, colocar-se fisicamente em equilíbrio e posteriormente alcançar um equilíbrio anímico, através da liberdade que temos ao usar nossas mãos e braços. Nesse sentido, a euritmia contribui enormemente, pois trabalha simultaneamente o corpo físico e nuances da alma, permitindo que a criança adquira um andar pleno, em seu mais amplo sentido.

Através das rodas, que são pequenas histórias versadas e ritmadas e que se repetem durante algumas aulas, a criança se apropria da linguagem de forma artística, assim como das direções do espaço que a rodeia. De maneira vivencial, mas ainda inconsciente, a criança vai conquistando paulatinamente a tridimensionalidade do espaço, tornando-se mais segura e autônoma.

A linha de pensamento contida nessas pequenas histórias permite que a criança entre em contato, através do movimento, com o pensamento alheio, desenvolvendo assim a capacidade de escutar, vivenciar e executar a história simultaneamente.